segunda-feira, 26 de agosto de 2013

Alunos criam empresa virtual

Alunos de Moda da Unifran criam empresas virtuais para divulgar seu trabalhos . Esta ação foi realizada na aula de marketing em Moda da Profa. Karina Gera que está mostrando aos alunos de forma prática como trabalhar as marcas na internet.

segunda-feira, 8 de abril de 2013

Artista pinta em arvores com tinta especial para não agredir a natureza!



Na China, as árvores públicas foram se transformando em belas obras de arte graças a um estudante de arte Wang Yue de 23 anos de idade. Com sua amiga Li Yue, documentando o seu progresso, o artista tem atraído muita atenção por sua arte criativa público que transformou as ruas de Shijiazhuang em uma espécie deliciosa de galeria à céu aberto.

Equipado com uma mochila cheia de algumas ferramentas básicas de pintura, Wang trata troncos de árvores como a sua tela e cria portais ilusórios nas fendas naturais. Escolhendo a manter a beleza da natureza em seu trabalho, com comunicações visuais e imagens paisagens botânica sobre a madeira exposta. Intenção de Wang por trás de suas obras públicas é para iluminar as ruas enevoadas de esta cidade, que acontece de ter um dos piores casos de poluição do ar no mundo













Até o próximo post...


sexta-feira, 5 de abril de 2013

quarta-feira, 3 de abril de 2013

O artista que desenha paisagens de memória!

 desenho, memoria, paisagem, Stephen, Wiltshire
Stephen Wiltshire é um artista que desenha e pinta paisagens detalhadas. Ele tem um talento especial para o desenho realistas, representações precisas das cidades, às vezes, depois de ter observado apenas os brevemente. Ele foi premiado com um MBE de serviços para o mundo da arte em 2006. Estudou Belas Artes na City & Guilds Art College. Seu trabalho é popular em todo o mundo, e é realizada em um número de importantes coleções.

Stephen nasceu em Londres, em 24 de abril de 1974. Quando criança, ele era mudo, e não se relacionam com outras pessoas. Três anos de idade, ele foi diagnosticado como autista. Ele não tinha nenhuma linguagem e viveu inteiramente em seu próprio mundo.

Com a idade de cinco anos, Stephen foi enviado para a Escola Queensmill em Londres, onde foi constatado que o passatempo só gostava estava desenhando. Logo se tornou evidente que ele se comunicava com o mundo através da linguagem do desenho; primeiros animais, então ônibus de Londres e, finalmente, edifícios. Estes desenhos mostram uma perspectiva magistral, uma linha de gênios, e revelar um talento natural.

 desenho, memoria, paisagem, Stephen, Wiltshire
Leia mais no site do artista:Stephen

terça-feira, 2 de abril de 2013

Graça Ramos explica a arte, imperdível!


Em recente visita a Feira de Santana (Bahia), sua terra natal, a artista plástica Graça Ramos concedeu entrevista à TV Olhos D’Água, da Universidade Estadual de Feira de Santana. Doutora em Belas Artes pela Universidade de Sevilha (Espanha), a artista, que é Professora Titular da Escola de Belas Artes da Universidade Federal da Bahia, tratou de temas relacionados à Arte Contemporânea, a exemplo da “teoria do objeto perdido”.

Graça Ramos falou ainda sobre seu processo de criação, sobre a utilização da luz elétrica na obra de arte, sobre as influências de Lucio Fontana e Manuel Millares na sua obra e sobre a pesquisa acerca dos suportes tridimensionais, que a levou a desenvolver as suas belas e intrigantes “caixas de luz”.




Até o próximo post...

terça-feira, 26 de março de 2013

O ARTISTA QUE DESENHA DORMINDO

 Lee Hadwin, inglês, é conhecido por desenhar enquanto dorme, mas é a primeira pessoa conhecida a produzir arte nestes termos. Curiosamente, a arte nunca lhe interessou, até ter descoberto o seu talento. Mesmo assim, não consegue produzir arte senão a dormir. Um fenómeno sem paralelo que ainda não tem uma explicação clara. Mas se a arte segue um rumo, qual será, então, o sentido desta arte?




Aos 4 anos, a mãe de Hadwin apanhava-o fazendo desenhos enquanto dormia, com carvão, porosas e lápis, o que estivesse à mão. Era o início que, embora básico (de acordo com a idade), ficava expresso nas paredes da sua casa. Mais tarde, seria em mesas, roupas e jornais usados. Por volta dos seus 20 anos, os seus “trabalhos noturnos” passaram a ganhar maior detalhe e profundidade. Hadwin deitava-se, nessa altura, com material de desenho ao lado, na esperança de acordar com mais trabalhos feitos.
O “artista do sono”, como é conhecido, nasceu em 1974, é de North Wales, Grã-Bretanha, e é enfermeiro. Gosta de ver filmes, viajar pelo mundo e divertir-se. Também se interessa pelo cosmos espacial, pelo universo, em geral, e pelas matérias de ordem espiritual. Apoia ações de caridade como as da organização social “Missing People”.

Nunca se interessou por arte nem desenvolveu essa feição, não tem um talento artístico particular e nunca conseguiu reproduzir alguma obra acordado. Apesar de ser um caso curioso, para o director do “Sleep Center”, de Edimburgo, “as pessoas fazem coisas esttranhas enquanto dormem”. Alguns fazem sexo enquanto dormem, comem durante a noite sem acordarem e até conduzem veículos. Alguns dos terapeutas interessados explicam este fenomeno como sendo um sinal de um trauma mental. Sabe-se que Hadwin perdeu 5 pessoas próximas em idade precoce, mas nada mais ficou provado.

















Lee Hadwin intitula-se de “sleep artist” na sua página do facebook e no seu site

Até o próximo post...

segunda-feira, 25 de março de 2013

Falando de arte...

Neste domingo, dia 24 de março de 2013, saiu no jornal Comércio da Franca uma entrevista com os direcionamentos de nossa querida amiga e conselheira do Artiloka para a cultura de Franca. Ela que assumiu em janeiro o cargo de Diretora de Arte e Cultura da Prefeitura Municipal de Franca. Veja a entrevista completa no link: http://www.gcn.net.br/jornal/index.php?codigo=205480&codigo_categoria=21

O reconhecimento vem com o tempo, após muita dedicação e esforço e com toda certeza a Karina é merecedora deste momento ascendente em sua vida profissional. Como pessoa também é muito respeitosa e humana com todos, um sorriso ambulante, sempre buscando ajudar a todos. 
 Atualmente sou o novo coordenador do Núcleo Artiloka, entrei para dar continuidade a este projeto  idealizado pela amiga, professora, artista e empresária Karina Gera que neste momento assumiu um desafio maior. Minha opinião sobre a Karina é tendenciosa, mas mesmo assim quero expressar meu sentimento sincero: ela é sangue novo na arte e cultura da cidade e com certeza ela fará a diferença, porque ela tem garra e nunca vi desistir de nada. Quando algo parece impossível ela aceita como desafio e continua com sua serenidade.  Em tempos passados quando dividíamos os pincéis alí na Praça em frente onde ainda é a FEAC, um simples espaço no meio de outros artistas, ouvi inúmeras pessoas que, hoje a cultua dizendo que ela não devia estar ali, eu sempre soube que não só devia estar, como tinha chegado para ficar.


Sim, tudo que se escrevi sobre ela é verdade, porém é apenas uma pequena parte, poderia acrescentar muito, de tudo uma coisa é certa, essa nossa Diretora Cultural é, sem a menor dúvida, a pessoa mais indicada para estar á frente desta pasta, pois enfrentou na própria carreira a perseguição de pseudos artistas e soube valorizar a arte pelo que ela é, uma forma de expressão, sem discursos inflamados e nem saudosismos descomedidos. É com muito orgulho que sigo sendo o seu admirador e amigo de sempre, meus parabéns, como artista plastico e como cidadão, meu muito obrigado. Estamos com você!
Por : Gêmacedo